terça-feira, 14 de novembro de 2017

LEMBRANÇAS

Bem, já falamos um pouquinho de memória, e sabemos que nossas lembranças são formadas graças a nossa memória. Mas as lembranças nunca serão exatamente iguais ao que foram no passado, a cada momento em que se traz para o momento atual, influencias do presente irão fazer parte desta lembrança. O que somos hoje é o que vivemos no passado, o que guardamos é o que construímos. Então como são formadas as nossas lembranças? Porque somente determinadas coisas conseguimos lembrar? 



Como já vimos na publicação anterior, nossa habilidade de lembrar eventos reflete em uma operação de um combinando de no mínimo duas estratégias usadas pelo cérebro para adquirir informações, dentro do sistema de Memória de Longo Prazo, então vamos falar um pouco mais sobre isso.
As nossas lembranças estão totalmente vinculadas a nossa história, e para lembrar de determinadas coisas temos que ativar nossa memória através de determinados estímulos ligados aos nossos sentidos:  visual, auditivo, olfativo e até mesmo o tato.
Dentro da Memória de Longo Prazo, temos a Memória de acordo com o conteúdo, e esta se divide em memória explicita e memória implícita, como já relatado anteriormente, e as nossas lembranças estão guardadas na memória explicita, aquela que precisamos de utilizar mecanismos de consciência para lembrar (os estímulos citados acima).
Chamamos de memória episódica tudo que envolve recordações de eventos pessoais, e é ai que iremos acionar para trazer nossas lembranças a tona.

Estas memórias ficam guardadas em determinados locais do nosso cérebro, e quando uma pessoa sofre de doenças degenerativas ou de algum tipo de lesão cerebral que, dependendo da região afetada,  podem apagar estas memórias, seja por destruição dos neurônios que fazem a transmissão, ou por problemas no hipocampo, região onde ocorrem os procedimentos de armazenamento e resgate das informações armazenadas.

E é por isso que algumas pessoas se esquecem de fatos que já aconteceram, não permitindo acesso as suas lembranças já consolidadas, que chamamos de amnesia retrógrada, ou seja, perda de informações e fatos que ocorreram antes da lesão ou patologia. Neste caso, estas pessoas precisam buscar ajuda medica e neuropsicológica para trabalharem uma possível reabilitação.


Cada um tem sua própria lembrança, uns possuem uma necessidade maior de estar acionando estas lembranças para se sentirem bem, outros somente irão se recordar quando estimulados por algo externo. 
Por outro lado, é importante destacar sobre o que acontece com as pessoas que sentem uma grande necessidade de relembrar o seu passado constantemente,  e também daquelas que raramente buscam trazer suas lembranças. Ou seja, há aqueles que gostam de viver de nostalgia, e os que parecem ter bloqueado suas lembranças não entrando em contato com elas, nem quando estimulados.

Esquecer pode ser visto como algo negativo, porém pode ser algo muito útil para superar uma lembrança ruim do passado.
É fato que o que somos uma construção do que fomos, mas muitas pessoas possuíram um passado muito difícil de trazer a tona, e acabam por bloquear estes momentos como se não existissem., enquanto outras tiveram momentos tão bons em seu passado, e as vezes melhores que os momentos atuais, que vivem constantemente buscando prazer no que ficou para traz.

Em ambos os casos, trata-se de uma forma de evitar o sofrimento, 
O mais saudável é o equilíbrio entre as duas situações.



O importante é saber que o que vivemos hoje, será lembrança de amanhã, então vamos tentar construir nossas lembranças de forma mais positiva possível, vivendo bem o momento.

E para os saudosos, vai ai um pouquinho de flash back.



terça-feira, 7 de novembro de 2017

Gosto muito deste tema, falar de memória é algo fascinante, por isso tenho estudado bastante a respeito e quero dividir um pouco dos meus conhecimentos aqui.
E o que é exatamente a memória? Parece simples não é? Mas não a memória é algo muito mais complexo do que parece, trata-se de uma faculdade psíquica responsável por reter  e armazenar informações de algo que já aconteceu, fatos, eventos dados etc...
Até ai, tudo bem, mas não é só isto, trata-se de uma aliança de sistemas que nos permite aprender experiencias passadas, o que significa que sem memória não haveria aprendizado. 
Nossa memória é afetada de acordo com a carga emocional, estado físico e nível de consciência no ato do acontecimento, e é por este motivo que muitas vezes não retemos certas informações.
A memória não está localizada em uma única estrutura do cérebro, ela é um fenômeno biológico e psicológico. Trata-se de uma aliança de sistemas cerebrais que funcionam juntos.
Por exemplo, quem não se lembra o que estava fazendo quando o Brasil perdeu o jogo por 7 x 1 para a Alemanha na copa de 2014?
Stadion Belo Horizonte Halbfinale WM 2014 (22117986076).jpg
Pois bem, algo marcante é facilmente lembrado, e porque isso acontece?
Para explicar isso, vamos mostrar como acontece o processo de memorização. O processo de memorização é algo bem complexo, envolve diversas e sofisticadas reações químicas e circuitos interligados de neurônios, as chamadas sinapses. 
Normalmente, fatos mais antigos estão fixados a mais tempo em nosso banco de dados, o que não acontece com fatos mais recentes, mas é claro que nem tudo do passado conseguiremos trazer para nossa lembrança atual, isto dependerá do estímulo que tivemos no momento de sua fixação e também no momento em que buscamos esta informação armazenada, e nem tudo será armazenado mesmo, nosso sistema de memória tem um sofisticado processo que filtra o que é mais importante, caso contrario, não haveria espaço para tanta informação.
No exemplo acima, sobre o jogo do Brasil, o impacto de perdermos uma copa aqui no Brasil e por 7 x 1, é algo inesquecível, pois sua repercussão foi imensa e até quem não viu este jogo, vai se lembrar dele por muito tempo. 
E é assim com tudo que armazenamos, ou deixamos de armazenar, pois o contrario também acontece, se estamos com nosso nível de consciência rebaixado, por exemplo, por sono, ou por cansaço, por estar alcoolizados, estressados, etc...não iremos lembrar do que  aconteceu, pois não fixaremos a informação.
Muito se engana quem acredita que existe um único tipo de memória, pois bem vamos falar um pouco mais sobre isto.
  • Memória Sensorial ou ultra rápida - cuja retenção das informações acontece por alguns segundos;
  • Memória de curto Prazo ou memoria Recente - Esta dura minutos ou horas e serve para proporcionar a continuidade do sentido de presente
  • Memória de Longo Prazo - ou Longa duração - Estabelece engramas, traços duradouros, dura dias , semanas e até anos.
E para explicar o armazenamento da memória, precisamos informar que há uma memória para cada tipo de estímulo sensorial, e será acionada através de 2 alças: 
  • Alça viso espacial e a alça fonológica.
Essas alças se comunicam com um sistema executivo central  para enviar as informações que irão ser armazenadas.
A alça viso-espacial está relacionada as informações visuais semânticas e são capturadas mais pelo lado direito do cérebro, enquanto a alça fonológica está mais relacionada a comunicação e linguagem e está presente mais do lado esquerdo do cérebro, porém se for necessário, nosso cérebro está preparado para acionar qualquer um dos lados, ou ambos, se a informação for mais complexa.
A memória de Longo prazo ainda possui uma habilidade para buscar as informações de acordo com conteúdos, que chamamos de memória explicita, que é a capacidade de recordar de forma consciente eventos do passado e a memória implícita, que é a forma automática e inconsciente de evocar estes eventos, por exemplo, dirigir, andar de bicicleta, não exige uma forma consciente de lembrar como se faz, é automático, isto é o que chamamos de memória implícita.
E como devemos cuidar de nossa memória?
A consolidação da memória ocorre no instante seguinte ao acontecimento, assim qualquer fato que ocorrer neste instante, poderá fortalecer ou enfraquecer a lembrança, como no exemplo acima. Mas muitos fatores poderão influenciar  perda da memória:
  • Doenças neurológicas (demências, escleroses, traumas);
  • Distúrbios psicológicos (depressão, ansiedade);
  • Stress, cansaço;
  • Problemas metabólicos (intoxicação);
  • Falta de vitamina B1;
  • Problemas de tiroide (hipotireoidismo);
  • Alcoolismo e dependências químicas
  • Uso de medicamentos tranquilizantes/calmantes por ongo tempo.
Mas podemos cuidar para melhorar nossa memória:
  • Estimule sua memória: Desafie o novo, aprenda coisas novas;
  • Melhore sua atenção: Foque sua atenção no que é importante, se dividir entre várias atividades simultâneas pode prejudicar a forma de fixar as informações pela perda de foco;
  • Relaxe: Não conseguimos fixar informações se estivermos tensos ou estressados, descanse mais.
  • Visualizar imagens: Veja figuras com os olhos da mente, por exemplo: imaginem um bife bem suculento, tente lembrar do sabor; lembre-se de que roupa colocou ontem para sair de casa, porque escolheu aquela roupa, etc..., isto fara você estimular sua memória, como um exercício físico.
  • Sono: Tenha uma boa noite de sono, o cérebro também precisa de descanso, e o sono noturno é o mais adequado;
  • Alimentação: Procure manter uma alimentação saudável, alimentos ricos em vitamina B farão a diferença;
  • Água: Beba muita água, seu cérebro precisa estar hidratado, tanto quanto seu corpo.
Temos muito mais para falar sobre Memória e a perda de memoria, bem como o trabalho com reabilitação. Retomarei este assunto em outra postagem, por isso acompanhem.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

MELANCOLIA


Hoje falaremos de melancolia, mas como falar de algo que não sabemos explicar ou nomear exatamente?

Pois bem, a melancolia tem um significado e trata-se de um estado de tristeza profunda e apatia continua, é mais um tipo de depressão e possui os mesmos sintomas, ou seja, falta de interesse por qualquer coisa ao seu redor. Nem mesmo os acontecimentos de alegria e prazer lhe fazem se sentir menos triste, e na maioria das vezes não há uma explicação aparente para este sentimento.
A melancolia não é uma doença da modernidade, já no seculo V a.C, Hipócrates classificou a melancolia como doença e criou a teoria dos 4 humores corporais, sangue, fleugma, billis amarela e billis negra,  sendo o equilíbrio e o desequilíbrio responsável pela saúde ou enfermidade de um individuo. Na época acreditava-se que este equilíbrio sofria influência de Saturno, este levava o baço a expelir billis negra em excesso, causando a melancolia.
Fisicamente o estado de melancolia se reflete na aparência sempre abatida, no emagrecimento e olhar fixo para o infinito.

Para a psiquiatria a melancolia é uma síndrome que se caracteriza pela sensação de impotência, inutilidade , pensamentos negativos, dificuldade de concentração, falta de apetite, insônia, ansiedade, idéias constantes de morte. A melancolia também é um dos sintomas da psicose maníaco depressivo (bipolaridade)
Para Freud, a melancolia é um estado emociona similar ao processo de luto, embora não haja necessariamente uma perda (perda narcisista), que o caracterize, pois nem sempre há uma causa explicável que defina este sentimento.
Porém, no processo de luto a melancolia se faz presente em algumas de suas fases.


Na melancolia, o individuo vivencia de uma forma contínua e automática o aparecimento de pensamentos negativos, ou seja o pessimismo sempre estará presente tomando conta de seus pensamentos, por exemplo: "isso não vai dar certo, vou perder meu emprego, meu parceiro vai me deixar, eu sou muito infeliz, ninguém gosta de mim"...etc
Muitas vezes estes sintomas surgem devido a uma falta de controle do individuo sobre uma situação adversa, e sua impotência o paralisa não permitindo pensar em uma saída.
Surge o sentimento de um grande vazio, este sentimento permite a entrada do fluxo de pensamentos negativos, pois ele não acredita existir algo de si capaz de fazer as mudanças necessárias para seu equilíbrio.

TRATAMENTO
O tratamento se dá através de medicamentos antidepressivos e principalmente com ajuda de terapia. 
Os medicamentos são utilizados para trazer um equilíbrio na mente da pessoa para que assim consiga organizar suas  idéias e absorver o tratamento psicoterápico.
É importante salientar que a melancolia não está presente apenas nos adultos, crianças também sofrem de melancolia, e assim que forem observados estes sintomas, deve-se buscar ajuda médica e psicológica.


Fonte:
https://www.significados.com.br/melancolia/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Melancolia#Nos_dias_atuais
Livro : História da Melancolia - Táki Atanássios CORDÁS e Matheus Schumaker EMILIO  (ARTAMED)- ABP - Associação Brasileira de Psiquiatria

sexta-feira, 27 de outubro de 2017


Halloween - Dia das Bruxas

Vamos falar hoje sobre este novo jeito de trazer culturas de fora para o Brasil, e porque as bruxas encantam tanto?
Para nós, a comemoração do dia das bruxas é algo relativamente novo, e o que está por de traz dessa cultura que estamos importando?
Antes de falar sobre isto, vamos entender o que é o tal do Halloween. 
Dia Das Bruxas, Jack O Lanterna, Abóbora
A tradição do Halloween foi levada pelos Irlandeses aos Estados Unidos, cujo significado se refere a noite sagrada de 31 de outubro, véspera do dia de todos os Santos, referência a data criada pela igreja católica. Algumas teorias sugerem que a origem tenha surgido entre o povo celta, através de festividades pagãs do fim do período do verão e inicio do inverno. Acreditava-se, nesta época que os espíritos dos mortos regressavam para visitar suas casas e também poderiam surgir assombrações para  amaldiçoar os animais e as colheitas, utilizando-se símbolos celtas para afastar os maus espíritos. 
A expressão vem do "All Hallow's Eve", que significa Véspera de todos os Santos.

Mas como fomos contagiados por esta cultura, que no fundo não tem nenhum significado cultural para nós?
No Brasil, o Halloween é comemorado mais em festas particulares e iniciou-se em escolas de Inglês e escolas particulares de ensino fundamental, e o movimento acabou crescendo neste meio, mas mesmo assim não chega ser uma manifestação tão forte quanto nos países Anglo saxônicos. Aqui muitos adolescentes e crianças comemoram a data assistindo filmes de terror, envolvendo bruxas e fantasmas.
Em 2003, na tentativa de atribuir um novo sentido à data no Brasil e para incentivo a cultura local, foi criado um projeto de lei de numero 2.762/2003 intitulado o dia como o Dia do Saci e seus amigos, com a alegação de ter certa similaridade com as travessuras do Halloween, porém a data não pegou.

O interesse das crianças pelos temas de terror é interessante, normalmente, apesar de sentirem medo, sentem-se atraídas pelo desconhecido, e a adrenalina do medo é contagiante. A fantasia criada pelas brincadeiras e pelas roupas relacionadas ao tema, tem um significado especial. Pedir doces de casa em casa, acaba sendo algo lúdico que trás uma experiencia de prazer diferente às crianças, pois neste momento a travessura está liberada.

Há quem acredite que incentivar estes sentimentos é prejudicial, mas porque reprimir as emoções negativas que sentimos? Este contato com as emoções negativas faz-se necessários, o mal e o bem existem e todos possuem estes sentimentos. Então, porque sentir culpa ou vergonha por perceber que sentimos algo assim? Porque é feio demonstrar coisas negativas, assim a sociedade considera.
A rejeição a nossa "bruxa interior", pela culpa ou vergonha pode se manifestar através de sintomas de tensão, associado a raiva, ansiedade ou frustração. Tais manifestações é consequência daquilo que não dizemos e das contrariedades que guardamos dentro nós.
Mas e para as crianças, como é isso?
As crianças não costumam reprimir estes sentimentos da mesma forma que os adultos, é claro que incentivar sentimentos de medo, raiva, agressividade, nunca será bom, porém que mal há em transformar estes sentimentos em algo doce...
O mais importante é que no resto do ano, pais, professores e demais educadores, criem datas que incentivem a gratidão, o fazer o bem, à família, e porque não, a doação de si próprio. 
Que tal criarmos o dia da GRATIDÃO? Podemos copiar, o dia de Ação de Graças e transformá-lo em algo nosso, bem brasileiro, um dia onde todos possam agradecer e se doar um pouquinho, as crianças irão sentir-se muito prazer ao fazer isso, pode ter certeza.

Fonte:
https://www.significados.com.br/halloween/
http://brasilescola.uol.com.br/halloween/halloween-no-brasil.htm
http://www.psic.com.pt/halloween-a-bruxa-interior/
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/10/151029_origem_halloween_rb

terça-feira, 24 de outubro de 2017


SINDROME DE BURNOUT

E o que é isso? 
Do nome em inglês Burn - queima Out - Exterior, significa queimar por completo, ou seja,  algo em si esta errado provocado por algo externo, causando o esgotamento físico e mental no indivíduo.
Qualquer tipo de trabalho que a pessoa se sinta em condição e estado de desgaste intenso, tanto de forma física como emocional, pode causar a síndrome.
Mas nem sempre se consegue diagnosticar de imediato, pois geralmente os primeiros sintomas são de depressão.
Empresário, Caixas, Transporte, Entrega
As principais características da Síndrome de Burnout, é a sensação de extrema exaustão, mesmo em períodos de descanso,  distanciamento, isolamento, agressividade, e principalmente a falta de interesse no trabalho que ocasiona no desejo intenso de não ir trabalhar, ou seja, a falta de motivação e completo desânimo. Estes são alguns dos sintomas, que abaixo detalharemos melhor.
Caixeiro, Negócios, Mulher De Negócios
Descrito pela primeira vez pelo médico psicólogo alemão Herbert Freudenberger (1926-1999), que se auto-diagnosticou em 1974, atualmente o transtorno está registrado no grupo V da CID 10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas 
Relacionados à Saúde), sendo considerada de caráter depressivo, devido ao comportamento que a pessoa afetada apresenta.
Considerada como o ponto máximo do estresse profissional,  pessoas viciadas em trabalho (chamados workaholics), são sérios candidatos a adquirirem a doença, mas no geral, o excesso de cobrança, altas metas, o ambiente de trabalho hostil, competitividade excessiva além da própria capacidade, são alguns dos fatores que podem levar as pessoas e desenvolverem a doença.
Em geral, profissionais que lidam de forma intensa com pessoas, e de alguma forma influenciam em suas vidas, são os mais propensos a adquirirem a doença, como por exemplo: Professores, policiais, bombeiros, médicos, advogados, jornalistas, bancários, profissionais de telemarketing, etc...

SINTOMAS:
Agressividade constante, isolamento, mudança de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, falha de memória, ansiedade, tristeza, pessimismo, sentimentos negativos, falta de vontade intensa de ir trabalhar, paranoia - (sentimento de perseguição). 
Algumas pessoas recorrem ao álcool e as drogas.
É possível que a pessoa desenvolva sintomas físicos também, como enxaqueca, cansaço intenso, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, crise de asma, distúrbios gastro-intestinais, problemas cardiovasculares e em mulheres, alteração do ciclo menstrual.
TRATAMENTO:
O tratamento é feito geralmente com medicamentos anti-depressivos e terapia, em alguns casos, o afastamento do trabalho será necessário, e indicado pelo médico, para que os resultados ao tratamento possam surtir efeito.
Porém será necessário uma mudança no estilo de vida da pessoa, como incluir atividades físicas em sua rotina, fazer exercícios de relaxamento, (yoga, pilates, respiração, por exemplo), ajudam a controlar os sintomas, além de buscar atividades de trabalho que lhe dê mais prazer, mesmo em tempos difíceis como atualmente.
IMPORTANTE:
É muito importante procurar ajuda médica o mais rápido possível, pois é comum ocorrerem demissões pela falta de interesse do profissional ao trabalho, por desconhecimento dos gestores destes problemas. Além disso, como dito acima, outros problemas de saúde podem afetar a pessoa e a hipertensão e problemas cardíacos são comuns, sendo necessário o tratamento imediato.
Escritório, Freelance, Computador
Fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Fonte:
https://www.significados.com.br/sindrome-de-burnout/
http://uniica.com.br/artigo/sindrome-de-burnout-a-doenca-do-esgotamento-profissional/
http://www.rhevistarh.com.br/portal/?p=524

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A CRIANÇA DE HOJE

Bem, estamos no mês da criança, e sabemos que atualmente as crianças têm um desenvolvimento psíquico e motor  bem diferente de tempos atrás. Vejo muita gente dizer, nossa que criança esperta, já sabe mexer no computador e no celular com apenas 2 anos!!!!
É incrível, não é mesmo??? Por outro lado, percebo crianças que não conseguem andar de bicicleta e pular corda com 10 anos de idade, pois seu mundo é muito virtual e acabam com alguns problemas como a obesidade por exemplo, pois além da alimentação ser pouco saudável, a atividade física e o equilíbrio, são muito importantes para o desenvolvimento motor e cognitivo.
Mas isto não é culpa da criança, é comum ver adultos que para distrair a criança, ainda pequena colocam-na em frente da televisão, ou com um joguinho em seu tablet, celular, ou computador.
Criança, Homem, A Criança No Manne
Ser criança hoje em dia é demonstrar mais independência, mas apenas em determinadas questões, pois ainda percebemos uma dependência comoda, em alguns casos, onde as crianças vivem na espera de um adulto para resolver coisas simples como: amarrar os sapatos, pentear os cabelos, trocar de roupas. E porque isto acontece? A resposta é simples, é mais fácil fazer que ensinar, falta tempo e paciência. 
As escolas vem se preparando para o novo conceito de criança, isto é muito bom, mas a escola não é responsável pela educação das crianças, e sim a família.
Criança, Outono, Suportar, Folhas
Desde o final do século XIX, várias áreas do conhecimento vem estudando a infância, mas somente no seculo XXI, novas disciplinas como Ciências Sociais, Neurociências e a Economia assumiram um papel importante ao colocar as crianças como prioridades das políticas e dos investimentos em equipamentos educacionais, creches formação de educadores e outras iniciativas. Isso é essencial nos dias de hoje, tendo em vista que as famílias estão cada vez mais dependentes de instituições para complementar a educação dos filhos.
Mas algumas características no desenvolvimento das crianças atuais, preocupam e muito. A agressividade, a carência afetiva, a depressão e a super estimulação das crianças, são situações em que aparecem como uma tendência. O excesso de estímulo pode desenvolver a insegurança e a hiperatividade, o inseguro é o que não irá conseguir acompanhar o ritmo do grupo.
O medo do escuro, parece ser o mesmo de tempos atras, mas no fundo é um medo diferente, um medo que envolve tecnologia, onde coisas saem dos computadores e dos jogos violentos que estão a disposição das crianças.
Alguns pais perguntam, com que idade devo deixar meu filho brincar no computador ou com jogos eletrônicos? Não há uma resposta exata, pois o importante é acompanhar o tempo de seu filho, porém tudo que é excesso não é bom, o importante é dividir as atividades entre os jogos e outras atividades lúdicas que o ajudarão no desenvolvimento físico e de sua personalidade.
Estimule brincadeiras nos parques ao ar livre, permita o contato com outras crianças e animais.
Cão, Homem, Um Amigo Do Homem, Diversão
Outra questão muito interessante é a quantidade de crianças que dormem com seus pais, mesmo tendo seu próprio espaço. Vale aqui colocar a importância do respeito ao espaço e ao ambiente de cada um.
Os pais precisam de privacidade e a criança também, é muito prejudicial para o desenvolvimento emocional, que os pais cedam a estas questões, e muitas vezes as questões são mais deles, dos pais, do que das crianças, o que acaba impedindo-as de estar em seu próprio espaço e de criar sua independência. 
Crianças, Jogar, Rocha, Balanço, Lazer
Para uma melhor compreensão, vamos incluir alguns pontos importantes no desenvolvimento da criança:
Primeira Infância (até os 3 anos)
É na primeira infância, que a se determina a capacidade cognitiva e socialização, pois é nesta fase que o cérebro absorve todas as informações através dos estímulos. Nesta fase muita coisa acontece em sua pequena vida, pois a criança se descobre como um ser independente.
Segunda Infância (dos 3 aos 6 anos)
Nesta fase a criança está apta a expandir o uso do pensamento simbólico, mas ainda não estão totalmente preparadas para se envolver em operações mentais mais complexas. É comum a criança apresentar alguns distúrbios do sono, como enurese (xixi na cama), sonambulismo, pesadelos, que passam no decorrer do tempo, e é nesta fase que normalmente os filhos vão para a cama dos pais, vale os cuidados de lidar com essa situação de forma gradativa, sem a invasão do espaço um do outro.
Terceira Infância (dos 6 aos 12 anos)
Nesta fase as crianças começam a comparar-se umas com as outras de mesma idade, passam a ter mais responsabilidade e também fazem mais exigências. Também é nesta fase que inicia o desenvolvimento da vida social da criança, ou seja, os pais e a família perdem importância, seu comportamento muda de acordo com o avanço da idade, e a sociabilização fica em torno dos amigos e professores. Nesta fase começam as mudanças em seu corpo que se prepara para a adolescência, a pré-adolescência. Eles sentem-se rejeitados, pois são marcados por intensas transformações físicas,  principalmente pelo aumento do ritmo de crescimento corporal e o desenvolvimento da sexualidade, dando inicio a puberdade. Nesta fase é muito importante que os adultos fiquem atentos, pois é comum o aparecimento de alguns problemas psicológicos, como depressão, distúrbios alimentares, e outros transtornos...

Menino, Menina, Lado A Lado, Crianças

PERMITA QUE SEU FILHO SEJA CRIANÇA, DENTRO DE SEU TEMPO 
Não apresse sua natureza, não proteja em excesso, nem deixe de protegê-lo,  permita que viva o seu momento.
Não leve seu conflito pessoal para seu filho. Criança não namora, criança não deve estar dentro de um ambiente violento, criança precisa de amor e carinho, criança precisa brincar.




fonte:
https://www.abcdobebe.com/criancas/etapas-do-desenvolvimento/terceira-infancia-da-crianca/
http://www.blogpsicologos.com.br/psicologia/desenvolvimento-humano/item/20-primeira-infancia-desenvolvimento-humano
http://desenvolvimento-infantil.blog.br/como-a-crianca-era-vista-no-passado-como-ela-e-vista-hoje/

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

CONFLITO DE ADOLESCENTE NOS DIAS DE HOJE

Tenho notado no consultório que os adolescentes de hoje vem enfrentando dúvidas diferentes, e os adultos que estão próximos não conseguem lidar com isso, pois em sua época era pouco comum ver um adolescente triste em um canto, aparentemente sem um motivo claro.
É muito complicado entender o que pode estar por trás disso, mas não deve jamais deixar de dar a devida importância. Muitas vezes sua dor é tanta que a automutilação ajuda a enfrentar essa dor.  
Popular Photo Categories

E o que é a automutilação?

Pode ser definida como um comportamento intencional de agressão direta ao próprio corpo, por qualquer meio, sem intenção de suicídio, a intenção é de machucar a si próprio fisicamente.
Muitos acham que quando um adolescente se auto-mutila, ele quer chamar a atenção, mas isso é um engano, pois geralmente quem faz isso não deseja que ninguém veja, por isso escolhe uma região do corpo, que possa esconder.

É como se a dor física aliviasse a dor emocional. Há várias formas de se auto-mutilar, a mais comum é fazer cortes em partes do corpo, mas há casos de pessoas que se esmurram, beliscam, chicoteiam-se, auto-sufocam por alguns segundos, queimar-se, etc..., ou seja, qualquer tipo de agressão física contra seu próprio corpo.
Pessoas que cometem estes atos, normalmente estão passando por um grande sofrimento, e nem sempre quem está por perto tem condições de entender seus motivos.


A depressão é cada vez mais comum na adolescência, e nem sempre há também uma explicação clara. Muitas vezes, jovens que possuem tudo para serem felizes, se percebem infinitamente tristes, isolados como se tudo estivesse voltado contra si. 
A depressão é uma doença como outra qualquer e deve ser tratada. Mas nem toda tristeza é depressão, por isso é importante ficar atento aos sintomas, separando o que é tristeza do que é depressão.
Há muitos pesquisadores que acreditam que um desiquilíbrio nos níveis de serotonina pode influenciar o estado de humor da pessoa e provocar a depressão, sendo necessário um tratamento com medicamentos.


Como aqui estamos tradando especificamente das questões dos adolescentes, vale a pena observar o comportamento de seus filhos nesta fase, observe se estão se isolando, chorando com frequência, saindo pouco, se trancando em casa, passando muitas horas assistindo séries e filmes, sem muita interação com amigos e parentes.
Não ache que é normal, e também não questione seus motivos, tente ajudá-lo com afeto e carinho. Procure ajuda de especialistas da área médica e psicológica, há casos que a terapia pode resolver, e outros que será necessário uso de medicação, para cuidar das questões físicas, e a terapia para cuidar das questões emocionais.